• luansanttos

Bússola & Cia: disfunção política é combustível para aumento da gasolina

Confira novidades e informações exclusivas sobre economia e negócios na coluna semanal de notas da Bússola


Por Márcio de Freitas*


A disfunção política continua a interferir na economia, e para piorar o cenário. A terça-feira foi cheia de trombadas, com recados políticos de insatisfação do Palácio do Planalto e da presidência da Câmara em relação ao comando da Petrobras, onde a política de repasses de preços imediatos é sinalizada como cláusula pétrea. O problema é que a alta nas cotações do barril no mercado internacional é repassada ao consumidor semanalmente, atingindo, além do público em geral, a importante base eleitoral do presidente Jair Bolsonaro: os caminhoneiros. As reações do governo, ao invés de solucionar o problema, derrubam as bolsas, provocam perdas nos acionistas e acentuam a desvalorização do real. Dólar forte é um fator a mais para elevar o preço dos combustíveis.


Recordações


A troca de Roberto Castello Branco por Joaquim Luna e Silva não mexeu na política de preços da Petrobras. Quando Bolsonaro indicou um general, criou-se a expectativa de interferência na estatal. Não aconteceu até hoje, mas a política de preços continua a desgastar o governo. E isso incomoda a ala política próxima ao presidente. Importante lembrar que, no período da presidente Dilma Rousseff, foi a interferência da política para segurar os preços dos combustíveis que gerou prejuízo bilionário à empresa. Os boatos de mudança na estatal voltaram ontem com força em Brasília.


Foodtech capta R$ 4,3 milhões


Para expandir o negócio e mirando o exemplo do Airbnb, a ChefsClub acaba de realizar captação por meio de financiamento coletivo na plataforma de crowdfunding SMU Investimentos. Em pouco mais de 30 dias, a foodtech captou 4,3 milhões de reais — quase 1 milhão além da meta. No modelo, os investidores fizeram aportes mínimos de 5.000 reais em troca de 14.29% de participação da startup. Com mais de 3.000 opções de restaurantes, 70.000 assinantes e presença em 25 cidades, os recursos levantados serão alocados para investimentos em tecnologia e experiência do usuário. Entram na nova interface também questões como cardápio, fotos, dados de contato e avaliações.


Padrão internacional


O Hospital Israelita Albert Einstein foi considerado o melhor hospital do Brasil e da América Latina nas especialidades de oncologia, ortopedia e gastroenterologia segundo o ranking World’s Best Specialized Hospitals 2022, da revista americana Newsweek. Além destas especialidades, o Einstein aparece em nove das dez áreas avaliadas pelo ranking, sendo reconhecido também em cardiologia, cirurgia cardiovascular, neurologia, neurocirurgia, endocrinologia e pediatria.


Excelência


A excelência em processos e atendimento praticada no hospital é espelhada nas quase 30 unidades do sistema público de saúde que o Einstein administra: são dois contratos de gestão com o SUS, além de Unidades Básicas de Saúde (UBS), Unidades de assistência médica ambulatorial (AMAs) e de especialidades pediátricas (AMA-E), Unidades de pronto atendimento, Centros de atenção psicossocial (CAPs), Serviços de residência terapêutica (SRTs) e creche, em uma parceria de 20 anos com o SUS.


Reconhecimento


A Plataforma A+ foi eleita uma das 100 startups de educação mais promissoras da América Latina. A pesquisa foi conduzida pela Plataforma de Inteligência de Mercado de Educação Global HolonIQ. A Plataforma A+ é destaque no segmento de gestão educacional que apoia escolas e universidades ao oferecer soluções digitais e suporte às questões administrativas. Para Alexandre Sayão, o reconhecimento é sinônimo de um trabalho que está apenas começando: “A jornada exige esforços de toda a equipe para oferecer o que há de mais amigável em termos de tecnologia aplicada à educação e estar ao lado de edtechs que tanto admiramos é um sinal de que estamos no caminho certo”, comentou.


Novo sócio


O escritório Souto Correa tem um novo sócio para atuar na área de saneamento básico, Eden José Ferreira Zarth Soares. Com experiência de 12 anos de atuação na Corsan, onde exerceu o cargo de superintendente jurídico da empresa e geriu a estruturação e coordenação da parceria público-privada com a Ambiental Mercosul, subsidiária da Aegea, o maior contrato de PPP na área de saneamento do Brasil (aproximadamente 7 bilhões de reais).


Saúde mental


O Ibep, Instituto Brasileiro de Edições Pedagógicas, realiza nesta quarta-feira, 29, a partir das 21 horas, a live “Saúde Mental em Tempos de Ensino Híbrido”. A transmissão tem a participação da psicóloga Talita Martignari e é voltada para educadores. Você pode acompanhar no Instagram.


Há vagas


A OLX Brasil está com mais de 180 vagas. Na área de tecnologia são 112 oportunidades para trabalho remoto, mesmo após a pandemia. As demais 76 posições são para as áreas de marketing, comercial, operações, rentals, gente, finanças e estratégia. As vagas compreendem desde jovem aprendiz até cargos de gestão.


#Foraeumesmo


Promovido pela Morar-EUA, o treinamento Missão Morar-EUA pretende ensinar tudo o que é necessário para morar, estudar, trabalhar e empreender no país americano. Serão três dias de imersão no assunto com várias as perspectivas para participantes sobre o futuro profissional, a partir de lições a respeito de todos os trâmites legais para seguir atuando nos EUA. Data e hora: 4, 5 e 6 de outubro, sempre às 20 horas. Custo: gratuito. Inscrições no site.


Exportação e importação


Carne e açúcar. Esses dois produtos vêm contribuindo para o crescimento recorde do valor das exportações de alimentos industrializados brasileiros para a China. De janeiro a agosto, segundo pesquisa mensal da Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (Abia), as vendas para o gigante asiático alcançaram o valor recorde de 6,70 bilhões de dólares, alta de 32,7% em relação ao mesmo período de 2020. Os itens que mais contribuíram foram as carnes, com 4,98 bilhões de dólares (+18,3%), e o açúcar, com 982,4 milhões de dólares, expansão de 83,0%.


União Europeia


No que diz respeito às relações comerciais com a União Europeia, o processo de retomada da economia tem se refletido de forma positiva sobre as exportações brasileiras de alimentos industrializados para o bloco, que totalizaram 3,96 bilhões de dólares de janeiro a agosto de 2021, alta de 13,6% em relação a igual período do ano anterior. O principal destaque foi o farelo de soja, que alcançou 2,2 bilhões de dólares, com alta de 10,6%, e as carnes, com 614,0 milhões de dólares (-3,0%) e os açúcares, com 148,3 milhões de dólares (+135,9%).


Industrializados


As importações de alimentos industrializados totalizaram 3,87 bilhões de dólares nos oito primeiros meses do ano de 2021, expansão de 27,6% em relação ao mesmo período do ano anterior. O grupo dos óleos e gorduras vegetais exibiram a maior taxa de crescimento (+59,5%), alcançando 1 bilhão de dólares.

0 visualização0 comentário