• G1

Dólar opera em queda com melhora em apetite internacional por risco

O dólar opera em queda nesta terça-feira (6), acompanhando melhora no apetite por risco internacional diante de redução nos temores relacionados à variante Ômicron da Covid-19 e com os investidores à espera também da decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, que anuncia nesta quarta-feira a nova taxa básica de juros.


Às 9h26 a moeda norte-americana caía 0,46%, a R$ 5,6635.


Na segunda-feira, o dólar fechou em alta de 0,13%, a R$ 5,6898 – maior patamar de fechamento desde 13 de abril (R$ 5,7161). No mês, passou a acumular alta de 0,93%. No ano, o salto é de 9,69% frente ao real.


Cenário


Por aqui, as atenções dos investidores seguem voltadas para a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, que se reúne nesta terça e quarta para deliberar sobre a taxa básica de juros. A expectativa é de novo acréscimo de 1,50 ponto percentual (o que levaria a Selic para 9,25% ao ano).


Juros mais altos encareceriam o custo de apostas na alta do dólar contra o real, movimento que tenderia a beneficiar a moeda brasileira.


Projeções do mercado


A projeção do mercado financeiro para a inflação de 2021 subiu de 10,15% para 10,18%. Foi a trigésima quinta semana seguida de aumento, de acordo com o Boletim Focus do Banco Central. Para 2022, subiu de 5% para 5,02%. Ou seja, a expectativa é de estouro da meta do governo pelo 2º ano seguido.


Os analistas também baixaram a previsão de crescimento do PIB deste ano, que passou de 4,78% para 4,71%. Para 2022, o mercado reduziu a previsão de alta do PIB de 0,58% para 0,51%.


Para a Selic, a estimativa foi mantida em 9,25% ao ano a previsão para a Selic no fim de 2021. Para o fim de 2022, os economistas mantiveram a expectativa para a taxa Selic de em 11,25% ao ano.


Já para o dólar, a projeção subiu de R$ 5,50 para R$ 5,56 para o fim de 2021 e de R$ 5,50 para R$ 5,55 para o fim de 2022.


Fonte: G1

2 visualizações0 comentário