Governo faz monitoramento permanente do preço dos combustíveis, afirma Albuquerque

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou nesta quarta-feira (27) que o preço dos combustíveis é "permanentemente" monitorado pelo governo e pelas cerca de 20 empresas importadoras dos derivados de petróleo que atuam no Brasil.

Após solenidade de assinatura dos contratos da segunda rodada de leilão do óleo excedente dos contratos da cessão onerosa, o ministro afirmou que, se necessário, novas "medidas serão adotadas não só pelo governo, mas também pelo Congresso Nacional" para conter o impacto do da alta de preços sobre o país.

Questionado se o assunto já foi tratado com o presidente da Petrobras, José Mauro Ferreira, que assumiu o cargo após crise política em torno da alta de preços dos combustíveis, Albuquerque assegurou que a companhia tem uma gestão independente.

"Petrobras é Petrobras. Ela tem a sua própria governança. Evidentemente, que eu me reúno com o presidente da Petrobras, assim como me reuni com todos os outros até hoje durante o mandato do governo do presidente [Jair] Bolsonaro. Nós nos reunimos quase que semanalmente", afirmou o ministro a jornalistas.

Ele reforçou que a escalada de preços afeta todo o setor. "Este não é um assunto só da Petrobras. É de todo o mercado de combustível nacional."

Autor/Veículo: Valor Econômico