• Oil Price

Importações de petróleo da China se recuperaram em agosto

As importações de petróleo bruto da China atingiram em média 10,25 milhões de bpd por dia no mês passado, mais de 5% a mais do que em julho, informou a fornecedora de análise de energia OilX .


Os dados alfandegários divulgados um dia depois mostraram um aumento de 8% nas importações de petróleo, com a Reuters calculando a média em 10,49 milhões de bpd. Mesmo assim, o número foi inferior à taxa média de importação de agosto de 2020.


Em uma base anual, no entanto, a média de agosto foi menor do que há um ano, disse a OilX. Isso se deveu à redução nas compras de refinarias independentes, que Pequim está atualmente almejando com sondagens de violação da lei ambiental e um aperto nas cotas de importação em meio a um excesso de combustível especialmente marcado em óleo diesel.


As autoridades até assumiram o controle de uma das maiores refinarias independentes – Liaoning Bora Enterprise Group – em meio a uma investigação fiscal que a Bloomberg relatou no mês passado que poderia levar a empresa à insolvência.


Como resultado da repressão, a OilX disse que as refinarias chinesas independentes reduziram suas taxas de corrida para 4,3 milhões de barris diários em agosto, o mais baixo em mais de um ano. A empresa acrescentou os dados semanais mais recentes, no entanto, sugerindo que setembro terá taxas de execução mais altas nas refinarias chinesas independentes.


O relatório também observou um recente aumento na quantidade de petróleo em armazenamento flutuante na costa da China, bem como em Cingapura e Malásia. Os autores sugeriram que isso poderia ser atribuído à repressão das autoridades às refinarias independentes.


O aumento de agosto, segundo a Reuters, foi resultado da distribuição de um novo lote de cotas de importação. As compras mais fortes também podem continuar este mês, com a Arábia Saudita – principal fornecedora da China – cortando os preços do petróleo para os compradores asiáticos.


Analistas disseram no início deste mês que as refinarias chinesas já estavam aumentando suas compras com o fim da última rodada de restrições de movimentação relacionadas à Covid-19 e estavam dispostas a pagar preços mais altos para garantir o fornecimento no final do ano.

0 visualização0 comentário