• CNN Brasil

José Mauro Ferreira Coelho é o novo indicado para a presidência da Petrobras

José Mauro Ferreira Coelho é o novo nome indicado pelo Ministério de Minas e Energia (MME), nesta quarta-feira (6), para assumir a presidência da Petrobras. A informação foi confirmada à CNN pelo ministro Bento Albuquerque. Depois, o MME emitiu nota oficial sobre o assunto.

Formado em Química Industrial, Coelho foi secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia. Ele pediu demissão da pasta em outubro de 2021, onde atuou desde abril de 2020.

Ferreira Coelho está à frente do Conselho de Administração da PPSA (Empresa Brasileira de Administração de Petróleo e Gás Natural) desde maio de 2020 até o momento.

Antes de entrar no Ministério de Minas e Energia, José Mauro Ferreira Coelho atuou por quase 13 anos na Empresa de Pesquisa Energética (EPE).

O MME também indicou o nome de Marcio Andrade Weber para a presidência do Conselho de Administração da estatal. Weber é engenheiro civil com especialização em Engenharia de Petróleo pela Petrobras, onde ingressou em 1976, tendo atuado por 16 anos na estatal.

Segundo a Petrobras, que confirmou o recebimento do ofício do Ministério das Minas e Energia com as indicações, Weber é um dos pioneiros no desenvolvimento da Bacia de Campos. Também atuou pela estatal no exterior. Atualmente, o engenheiro presta assessoria ao grupo PMI.

Desistências Em 28 de março, o Ministério de Minas e Energia havia indicado Adriano Pires para a presidência da Petrobras e de Rodolfo Landim para a presidência do Conselho de Administração.

No domingo (3), Rodolfo Landim, atual presidente do Flamengo, recusou a indicação para assumir a presidência do Conselho da estatal. No dia seguinte, Pires também informou que não iria aceitar a indicação para assumir a presidência no lugar do general Joaquim Silva e Luna.

Em carta encaminhada ao ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, e obtida com exclusividade pelo âncora da CNN Brasil William Waack, o economista agradeceu o convite e reconheceu a dificuldade em conciliar a indicação com sua atuação profissional.

O Ministério de Minas e Energia se manifestou afirmando entender as razões de Pires e desejou sucesso na vida profissional do economista. “(…) em decorrência de suas considerações consignadas na carta encaminhada a esta Pasta, compreendemos as razões que o motivaram a declinar da indicação à Presidência da Petrobras. Certo de podermos continuar contando com as suas oportunas contribuições, desejamos continuado sucesso em sua vida pessoal e profissional.”

1 visualização0 comentário