• Oil Price

OPEP + luta para elevar a produção à medida que o mercado de petróleo se aperta ainda mais

O grupo OPEP + aumentou sua produção em agosto, mas o subinvestimento e o trabalho de manutenção prejudicaram a capacidade do grupo de aumentar a produção – e a oferta pode ser insuficiente para atender à crescente demanda mundial de petróleo, sugeriu a Reuters na terça-feira.


A demanda global de petróleo aumentou recentemente para níveis quase recordes, à medida que a atividade global ganha força, apesar da pandemia.


Em resposta, a OPEP + concordou em aumentar a produção de petróleo a partir de agosto em mais 400.000 bpd por mês. Mas nem todos os produtores responderam ao pedido de mais barris.


Angola, Nigéria e Cazaquistão não conseguiram aumentar sua produção de petróleo para atender à demanda por mais petróleo. No caso do Cazaquistão, isso se deveu à manutenção em seu campo de Tengiz – manutenção que terminou em meados de setembro. Para Angola e Nigéria, os anos de subinvestimento na indústria petrolífera tornaram-nos incapazes de responder rapidamente ao aumento da procura.


O plano atual é que a OPEP + continue aumentando a produção em mais 400.000 bpd em outubro e outros 400.000 bpd em novembro.


Duas fontes da Reuters disseram na terça-feira que o cumprimento dos cortes pela OPEP + subiu para 116% em agosto, excluindo o México.


Enquanto isso, a produção dos EUA também foi prejudicada – neste caso, devido ao furacão Ida. A produção caiu 1,5 milhão de bpd nas últimas semanas, aumentando a situação de oferta restrita criada pelo baixo desempenho da OPEP +.


Acrescente-se ao que alguns consideram uma produção inadequada a situação de oferta restrita de gás natural na Europa. Isso também poderia aumentar a demanda por petróleo e gás.


O ministro do petróleo iraquiano, Ihsan Abdul Jabbar, disse no fim de semana que se tudo correr conforme o planejado, o mercado permanecerá em equilíbrio até o primeiro trimestre de 2022, com o Brent em US $ 70 por barril, se a OPEP + seguir seu plano.

0 visualização0 comentário