• Reuters

Opep+ não cumpre meta por dificuldade de alguns membros em elevar produção de petróleo

O índice de cumprimento da Opep+ com os cortes de petróleo caiu ligeiramente para 115% em setembro, disseram fontes, indicando que à medida que a aliança aumenta as metas de produção, alguns membros ainda não conseguem acompanhar, pois enfrentam desafios para bombear mais petróleo.


A Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados liderados pela Rússia, ou Opep+ como a aliança é conhecida, elevou sua meta de produção em 400.000 barris por dia (bpd) em setembro.


Também concordou em aumentar em mais 400.000 bpd em outubro e novembro.


Os problemas de subinvestimento e manutenção impediram os esforços de Angola e Nigéria para aumentar a produção, uma questão que deverá continuar a impactar os produtores da África Ocidental no futuro próximo.


Na semana passada, a Arábia Saudita, líder de fato da Opep, defendeu a política de aumentos graduais de produção da Opep+, apesar dos apelos de grandes consumidores como os Estados Unidos para adicionar mais barris à medida que os preços do petróleo sobem.


Questionado sobre os pedidos da Opep+ para aumentar ainda mais a produção, o ministro saudita da Energia, príncipe Abdulaziz bin Salman, afirmou: “Eu continuo dizendo às pessoas que estamos aumentando a produção.”


Os preços do petróleo Brent estavam sendo negociados perto de 86 dólares o barril na segunda-feira, máxima de três anos, impulsionados pela forte demanda.


A Agência Internacional de Energia, em seu relatório mensal na semana passada, disse que a capacidade extra da Opep+ poderia cair para menos de 4 milhões de bpd no quarto trimestre de 2022, ante 9 milhões de bpd no primeiro trimestre de 2021.


A capacidade extra estará concentrada nos produtores do Oriente Médio Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Iraque e Kuwait, informou a AIE.


A Opep+ se reúne em 4 de novembro para definir a política para dezembro.

1 visualização0 comentário