• Investing

Petróleo em alta em dia de divulgação de dados de estoques do API

Os preços do petróleo subiam terça-feira, revertendo algumas das perdas acentuadas do pregão anterior às vésperas da divulgação dos mais recentes dados de estoques de petróleo bruto nos EUA.


Por volta das 12h40 (horário de Brasília), os futuros do petróleo WTI, negociados em Nova York, subiam 0,3% para US$ 70,34 por barril, enquanto os futuros do Brent apresentavam alta de 0,4% para US$ 74,22 por barril, depois de ambos os contratos caírem cerca de 2% na segunda-feira.


Os futuros da gasolina RBOB dos EUA apresentavam recuo de 0,6%, a US$ 2,1030 por galão.


Os mercados de petróleo tinham um impulso em linha com outros ativos de risco na terça-feira, porém com temores também em alta de que os níveis de produção dos EUA continuarão comprometidos no Golfo do México até o final do ano, na sequência do furacão Ida.


A Royal Dutch Shell (NYSE:RDSa) (SA:RDSA34), maior produtora do Golfo, afirmou que a sua plataforma West Delta 143, que atua como ponto de transferência para o petróleo produzido por duas outras plataformas, somente retomará as operações no primeiro trimestre de 2022.


Cerca de 18% do petróleo do Golfo norte-americano e 27% da sua produção de gás natural seguiam suspensas na segunda-feira, mais de três semanas após o furacão Ida, de acordo com a agência reguladora Bureau of Safety and Environmental Enforcement.


Isso coloca os dados de estoques de petróleo bruto do American Petroleum Institute, que devem ser divulgados hoje mais tarde, no centro das atenções, após a entidade de classe registrar um consumo de mais de 5 milhões de barris de petróleo na semana passada.


Dito isto, este soluço na oferta global provavelmente não vai durar muito tempo, já que a Rússia espera que a produção de petróleo do ano que vem retorne a um nível próximo de suma máxima pós-União Soviética.


As empresas russas devem incrementar a produção combinada de petróleo bruto e de um petróleo leve chamado condensado em 8%, para 559,9 milhões de toneladas em 2022, permanecendo próximas desse nível entre 2023 e 2024, segundo um orçamento preliminar apresentado pelo Ministério das Finanças ao governo, informou a Bloomberg.


Entre as notícias corporativas, a Royal Dutch Shell confirmou que venderá seus ativos da Bacia Permiana à ConocoPhillips (NYSE:COP) (SA:COPH34) por US$ 9,5 bilhões em numerário, com a divergência entre os produtores americanos e europeus sobre o foco energético daqui em diante.

0 visualização0 comentário