• Dinheiro Rural

Petróleo fecha em leve alta, de olho nos dados de estoques e na demanda

Após os robustos ganhos desta segunda, 27, os preços do petróleo no mercado futuro arrefeceram o movimento, mas ainda fecharam com leve alta. Os investidores aguardam as estimativas de estoques de petróleo da American Petroleum Institute (API), que será divulgado nesta terça, 28, às 18h30 (horário de Brasília), ao mesmo tempo em que monitoram os possíveis efeitos da variante Ômicron do coronavírus.


Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o barril do WTI com entrega prevista para fevereiro subiu 0,54% (US$ 0,41), para US$ 75,98 o barril, enquanto o do Brent para março avançou 0,58% (US$ 0,45), a US$ 78,67, na Intercontinental Exchange (ICE).


Os mercados de petróleo têm ignorado o grande salto nos casos da covid movidos pela Ômicron, à medida que se concentram na demanda forte e estável de petróleo, tanto no transporte terrestre com gasolina e diesel, quanto na crescente demanda por combustível para aviação, à medida que as viagens globais começam a se recuperar.


De acordo com Peter Cardillo, da Spartan Capital, "o 'fator de medo' sobre a demanda está diminuindo". O mercado recebeu algumas notícias encorajadoras na segunda-feira, com Centro de Controle de Doenças (CDC) reduzindo a quantidade de tempo que uma pessoa infectada precisaria para se isolar caso seu teste fosse positivo.


Do lado da oferta, os estoques de petróleo bruto dos EUA devem diminuir drasticamente em relação à semana anterior, de acordo com uma pesquisa com analistas e traders do The Wall Street Journal. Estimativas de oito analistas e traders mostraram que os estoques de petróleo dos EUA devem ter caído 3,2 milhões de barris na semana encerrada em 24 de dezembro.


Além disso, a estatal Petróleos Mexicanos (Pemex) apresentou nesta terça-feira um plano para interromper a exportação de petróleo a partir de 2023, a fim de se concentrar no mercado interno.


Fonte: Dinheiro Rural

1 visualização0 comentário